IPPES participa de plenária que discute prevenção do suicídio de profissionais de segurança pública 2

Por Caio Brasil,
Assessor de comunicação e pesquisador do IPPES.


A socióloga e diretora-presidente do IPPES, Dayse Miranda, participou, no dia 24 de abril, da “Plenária da Mandata” da deputada estadual do Rio de Janeiro Renata Souza (PSOL). Elas debateram sobre a lei 8591/19, que criou o ‘Programa de Prevenção de Violências Autoprovocadas ou Autoinfligidas’ do estado. Proposta pela deputada, a lei teve como referência o livro “Por Que Policiais Se Matam?” (2016), que surgiu de pesquisa coordenada por Dayse Miranda.

“Esse programa foi desenhado propondo que o agente de segurança tenha a oportunidade de também ser acolhido. Estamos numa luta de combinar saúde mental com segurança pública. O Estado negligencia, permitindo que muitos desses profissionais saiam para as ruas com um despreparo gigantesco. E com um despreparo anterior, que é o emocional”, alertou a diretora executiva do IPPES.

A deputada salientou a delicada situação de um agente de segurança pública em sofrimento psíquico. “Vemos como pessoas com arma empunho que não têm sua saúde mental estabelecida se colocam como um risco para si e para a sociedade.”, comentou Renata Souza, que completou: “Precisamos de ter uma saúde mental mais constituída enquanto projeto e dever do Estado. Estamos vendo uma sociedade adoecida e precisamos ter um olhar para as pessoas que estão vulneráveis, em especial para aqueles que estão portando armas nas mãos”.

A iniciativa está dando frutos. Após a morte do policial Wesley Góes, de 38 anos, em Salvador, no mês de março, o deputado estadual Jacó (PT) apresentou à Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA) o ‘Programa de Prevenção de Violências Autoprovocadas ou Autoinfligidas’. O projeto de lei tem como parâmetro a lei sancionada no Rio de Janeiro, em 2019.

“Muito embora o suicídio seja uma ocorrência de extrema complexidade, as evidências científicas indicam que é possível prevenir os casos, reduzindo os fatores de risco e ampliando as medidas de cuidado e atenção, razão pela qual se justifica a presente iniciativa”, disse o deputado Jacó à assessoria da Assembleia.

Confira como foi a participação completa da diretora-presidente do IPPES Dayse Miranda na Plenária.