1

Por Caio Brasil,
Assessor de comunicação e pesquisador do IPPES.


O IPPES fecha parceria com a Policia Federal e oferecerá a Capacitação em Acolhimento Psicossocial e Manejo do Sofrimento Psíquico em Situações Críticas. Ela é voltada aos profissionais de saúde da instituição e serão abordados temas de grande relevância referentes às competências e habilidades necessárias para a realização de Intervenções Psicossociais.

A atividade faz parte do Programa SegurançaQPrevine. A proposta, idealizada pela Coordenação de Segurança Pública e Saúde do Trabalhador do IPPES, tem o objetivo de oferecer subsídios para a construção de um plano de ação de prevenção e posvenção, visando à promoção da saúde mental dos trabalhadores da Segurança Pública. O programa “consolida-se em pontos importantes, temas discutidos desde as pesquisas iniciais do GEPeSP, da publicação do livro Por Que Policiais Se Matam?, dos dispositivos legais, dos eventos educacionais desenvolvidos pelo IPPES e sobretudo, das minhas experiências de estudo e trabalho na longa jornada na Secretaria de Polícia Civil do Rio de Janeiro e na extinta Secretaria de Estado de Segurança do Rio de Janeiro”, explica a elaboradora do Programa e Coordenadora do IPPES, a comissária da Polícia Civil do Rio Meire Cristine Ferreira.

Para a Coordenadora, “as Instituições de Segurança Pública não podem continuar sendo palco de adoecimentos e mortes por suicídio. Os fatores associados aos riscos inerentes a atividade de segurança pública podem ser previsíveis, preveníveis e atenuados. Tudo isso depende da sensibilidade, do conhecimento e das habilidades do gestor, que decide e gerencia importante tarefa de liderança”. A Comissária fala também sobre a atividade profissional, que é “exercida e enfrentada por homens e mulheres, filhos e pais de família, que fizeram suas escolhas por amor, por ideais e por opção de um trabalho estável à serviço da sociedade. São essas as mesmas pessoas, vítimas dos impactos da atividade na saúde, que, involuntariamente adoecem, sofrem e podem até ceifar suas próprias vidas, encerrando uma trajetória que um dia foi motivo de muitas alegrias”, alerta Meire.

A formação acontecerá entre junho e agosto, e será de forma híbrida: online e presencial, na sede do IPPES, no Rio de Janeiro. Publicada no Diário Oficial, na edição do dia 23 de abril, a parceria marca o lançamento do Programa SegurançaQPrevine, que tem o objetivo de atuar em outras instituições de segurança pública do país.

“Dados oficiais e não oficiais sugerem que o risco ao suicídio entre agentes de segurança pública é alto por representarem uma categoria ocupacional suscetível a fatores estressantes e situações violentas e traumáticas. A gravidade do quadro faz crescer o senso de urgência por medidas protetivas”, comenta a psicóloga e Coordenadora Adjunta de Segurança Pública e Saúde do Trabalhador do IPPES, Wanda Quadra.

A psicóloga faz um balanço positivo sobre a iniciativa do IPPES e da Polícia Federal: “É uma parceria de alta relevância, pois o trabalho envolverá a Coordenação de Saúde Mental do IPPES e uma equipe multidisciplinar de profissionais da saúde da Polícia Federal.  A capacitação oferecida pelo IPPES abordará desde os primeiros cuidados, até o acolhimento em situações críticas e o manejo clínico do sofrimento psíquico”, explica Wanda.